terça-feira, 20 de março de 2018

Comandos IPv6 no Linux





Vejamos os comandos básicos de manipulação de endereços IPv6 no Linux. É possível, é claro, fazer pela interface gráfica, mas no caso vamos usar o comando "ip" que além de ter muito mais opções, ele substituiu o "ifconfig", portanto agora é a opção padrão em todas as distribuições:


1) exibir endereços:
ip -6 addr show [dev eth0]
 
2) Adicionar endereço:
ip -6 addr add 2001:db8::1/64 dev eth0

 Em IPv6 é possível que uma interface tenha múltiplos endereços, portanto você pode executar este comando várias vezes para a mesma interface. Naturalmente, ao adicionar um endereço os outros  não são removidos, você deve removê-los usando o próximo comando.

3) Remover endereço:
ip -6 addr del 2001:db8::1/64 dev eth0

4) exibir vizinhança:
ip -6 neig

Este comando é análogo ao "arp" do IPv4. Lembrando que no IPv6 não existe ARP, por o ICMPv6 assume sua função. Veja este artigo com as principais diferenças entre os protocolos.

5) exibir rotas:
ip -6 route show

6) adicionar rota:
ip -6 route add 2001:db8:BABA::/64 via 2001:db8::1 [dev eth0]

ip -6 route add default via FE80::1 dev eth1

OBS: Se no próximo salto for especificado um endereço link-local(FE80::) a interface deve ser especificada.

7) remover rota:
ip -6 route del 2001:db8:BABA::/64

OBS: Lembre-se que estas configurações são perdidas na reinicialização. Caso queira torná-las permanentes é necessário declaras no arquivo de configuração ou nos scripts de inicialização.

Mais alguma sugestão? Deixe nos comentários. :- )

domingo, 18 de março de 2018

Comandos IPv6 no Windows




Vejamos os comandos básicos de manipulação de endereços IPv6 no Windows. É possível, é claro, fazer pela interface gráfica, mas no caso vamos usar o comando netsh que tem muito mais opções:
 




1) exibir endereços:
netsh int ipv6 sh addr [int="Conexão Local"]

Especificar a interface é opcional aqui, mas caso seja feito ele mostra muito mais detalhes.

2) Adicionar endereços:
netsh int ipv6 add addr "Conexão Local" 2001:db8::2/64 store=persistent

Em IPv6 é possível que uma interface tenha múltiplos endereços, portanto você pode executar este comando várias vezes para a mesma interface. Naturalmente, ao adicionar um endereço os outros  não são removidos, você deve removê-los usando o próximo comando.
O parâmetro "store=persistent" indica que a configuração será salva permanentemente. Do contrário o será perdida na reinicialização.

3) Remover endereços:
netsh int ipv6 del addr int="Conexão Local" addr=2001:db8::2


4) Exibir vizinhança:
netsh int ipv6 sh neig

Este comando é análogo ao "arp -a" do IPv4. Lembrando que no IPv6 não existe ARP, por o ICMPv6 assume sua função. Veja este artigo com as principais diferenças entre os protocolos.


5) exibir rotas:
netsh int ipv6 sh route

6) adicionar rota:
netsh int ipv6 add route 2001:db8:BABA::/64 2001:db8::F int="Conexão Local"


7) remover rota:
netsh int ipv6 del route 2001:db8:BABA::/64 int="Conexão Local"

OBS: Lembre-se que o parâmetro "store=persistent"  é válido para todos os comandos, ele deve ser adicionado para que a configuração permaneça após a reinicialização.

Mais alguma sugestão? Deixe nos comentários. :- )

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Certificações - Um seleto grupo de profissionais

Dia desses acabei analisando a pesquisa do APINFO sobre o mercado de TI no Brasil. Para quem não sabe, é um dos sites mais antigos da área, e mantêm um enorme cadastro de vagas e profissionais de TI. É bem raro obter dados numéricos sobre as certificações. Não se sabe ao certo quantos são, índices de reprovação, proporção de profissionais etc. Mas a pesquisa do APINFO mostra muitas coisas em detalhes.

Vendo a pesquisa, me chamou a atenção um ponto. Apenas 33% dos profissionais de TI têm alguma certificação, e apenas 15% têm mais de uma. Pense nisso. Realmente, refletindo um pouco, eu conheço muito pouca gente com alguma certificação. Obter um título desses te coloca em um grupo de um terço de profissionais da área, o que é bem interessante. Se você tiver duas certificações, o que não é difícil, estará em um grupo com metade do tamanho, dentro de um sexto de profissionais. É uma coisa a se pensar não acha?
Do ponto de vista do recrutador a certificação valida o seu conhecimento técnico, coisa difícil de se fazer de forma eficiente em processo de seleção. O exame terceiriza isso para ele. Uma coisa é você colocar no currículo que tem domínio em uma área, outra coisa é mostrar um "certification ID".
Outro detalhe importante visto por quem contrata é o empenho do candidato necessário para passar em uma prova dessas. Um indivíduo que passou em um exame com certeza gastou algumas noites estudando, provavelmente pagou caro em um curso e desembolsou um valor bem salgado para agendar a prova.
Realmente, para sair apenas da formação curricular padrão e obter uma certificação é uma curva bem grande, mas o reconhecimento é natural. Depois de fazer o primeiro exame, tudo fica mais fácil a diante.
Eu gostaria de recomendar algumas certificações para você quebrar o gelo e ver que pode não estar muito longe de chegar a este grupo seleto:
  1. Microsoft MTA: É a base da pirâmide da MS. O conteúdo delas é bem básico e tem um custo baixo($77 USD). Ela tem exames específicos para cada área(banco de dados, infra, etc.)
  2. Linux Essentials: É o mínimo de conhecimento no universo Linux. A prova é feita para ser bem atrativa, já que tem validade vitalícia e cobra apenas 50% de aproveitamento. Bem interessante. Vale lembrar que, segundo a pesquisa, certificações LPI são das mais rara.
  3. Cisco CCENT: Fazendo o exame de base da Cisco, ICND1 você obtém o título de de "Certified Entry Network Technician". Este exame abre as portas para um CCNA em qualquer área de especialidade(Routing & Switching, VoIP, Wireless, etc.) fazendo mais uma prova. Os exames da Cisco são uma faca de 2 gumes. Por um lago existe muito material e cursos para treinamento, mesmo gratuitos, o que torna bem fácil estudar. Mas a prova é muito maldosa, tempo curto, somente em inglês(ou japonês), e requer 85% de aproveitamento. Talvez por isso certificados Cisco tenham um reconhecimento maior.
  4. CompTIA: A instituição oferece algumas certificações bem interessantes como a "IT fundamentals" e a "A+" que são, digamos, de nível básico para qualquer pessoa que trabalha na área. A curva de aprendizado é bem pequena para alguém que tem experiência com TI e suporte por exemplo. Eu só acho o preço salgado, mas vale a pena conferir.
Para concluir, veja que uma certificação pode ter grande peso no currículo, e talvez nem custe tando esforço de você. É um forma bem mais prática de garantir reconhecimento. Some isto aos dados da pesquisa e veja que estará entre profissionais muito selecionados. Boa sorte!